i


...

- - -
- - -- -
- - - - - - -- - - - - EXEMPLAR..- -- - - -- -..B & B - -- - - - - - UM OUTRO BACH? - -- - TRUTAS

27 - Fernando Lopes-Graça

Novembro/27
aniversário da morte de
Fernando Lopes-Graça
(1906-1995)

MÚSICA (3min54)
.
Canções Heróicas
(* Jornada * Firmeza * Cantemos um Novo Dia)
.
.
.
Dia de homenagearmos Fernando Lopes-Graça, que morreu nesta data. Faz hoje 12 anos.
Fernando Lopes-Graça, nasceu em 1906, tendo por isso merecido do Ministério da Cultura um importante programa de comemoração do seu centenário, durante o ano passado. Nasceu em Tomar, onde começou a trabalhar com apenas 14 anos, como pianista do Cine-Teatro da cidade do Nabão. Era a época da “competição” entre as rivais bandas Nabantina e Gualdim Pais. O jovem Fernando tocava Débussy no Cine-Teatro, com arranjos feitos por si próprio.
Em 1923 frequenta o Curso Superior do Consevatório Nacional, em Lisboa. Em 1927 é escolhido para a Classe de Virtuosidade do Conservatório, leccionada pelo Prof. Viana da Motta. Em 1931 termina o Curso Superior de Composição, com a classificação máxima. Tinha já passado a sua experiência universitária: abandonara a Faculdade de Letras (onde estudou História e Filosofia), em protesto contra a repressão política sobre os estudantes.
“Sombra” política do regime fascista, Lopes-Graça foi recusado como professor de piano do Conservatório. Em 1937 ganhou uma bolsa de estudo para Paris, mas foi impedido de a gozar, novamente por motivos políticos. Decidiu ir por conta própria, aproveitando para ampliar os seus conhecimentos musicais e estudar Composição e Orquestração.
Reconhecido como um dos mais notáveis compositores e musicólogos contemporâneos, Fernando Lopes-Graça foi acima de tudo um compositor patriótico. Homem de letras, colaborador permanente da Revista “Presença”, esteio da poesia em Portugal, a Música foi a sua linguagem de comunhão com o Povo do seu país. Desde as "Variações Sobre um Tema Popular Português" para Piano (a sua primeira obra) a inspiração e o culto populares foram uma constante da sua música
.
.

Acordai
.
.

*