i


...

- - -
- - -- -
- - - - - - -- - - - - EXEMPLAR..- -- - - -- -..B & B - -- - - - - - UM OUTRO BACH? - -- - TRUTAS

Tarrega, por Andres Segovia

4.Abr.2007

Francisco Tarrega
(1852-1909)
.
.
.
.
Recuerdos de la Alhambra, por
Andres Segovia

MÚSICA (3min26)
.
.
.
Francisco Tárrega foi um importante guitarrista espanhol que revolucionou a composição para guitarra. Defendeu uma metodologia diferente da que era usada na sua época. Segundo ele, o toque da mão direita na guitarra deveria ser feito num ângulo de 90º, e com a parte "macia" do dedo, ou seja, a unha não deveria ser utilizada. Justificava essa metodologia afirmando que o toque do dedo "nu" causava uma sensação de maior controle emocional e técnico da obra em execução.

Nasceu em Villareal, Espanha, a 21.Nov.1852. Morreu a 15.Dez.1909, em Barcelona.
Viveu numa época de alto romantismo, com as óperas de Wagner, as óperas italianas, as músicas de Schumann, Chopin e Paganini. Estas obras eram de grande sonoridade, contrastando com a pouca sonoridade do seu instrumento.
Devido a um acidente, quando criança, perdeu parcialmente a visão. O pai, pensando que ele poderia ficar completamente cego, fez com que frequentasse aulas de música para que, caso o pior acontecesse, pudesse ganhar a vida tocando algum instrumento. Curiosamente, foram dois músicos cegos que o introduziram no mundo da música.
Foi para Madrid estudar piano, pois a guitarra era um instrumento de segundo plano. Lá conheceu Albéniz e Granados. Foi seu próprio professor que, vendo seu desempenho na guitarra, o aconselhou a abandonar a carreira de pianista e se dedicar exclusivamente ao seu instrumento preferido.
Estabeleceu-se em Barcelona, onde compôs a maioria das suas obras mais famosas.
Os guitarristas profissionais seus contemporâneos tocavam, usualmente, apenas as suas próprias composições. Tárrega transcreveu trabalhos de Schumann, Chopin, Beethoven, Gottschalk, Bach e outros, como os solos de Albéniz e Granados. Albéniz chegou a declarar que preferia as versões para guitarra de Tárrega às suas próprias versões originais para piano.
Além das inovações na técnica da guitarra, a sua importância se deve, também, a essas transcrições, expandindo o repertório disponível para o instrumento.
Não satisfeito com o som que obtinha da sua guitarra, aos 50 anos (1902) começa a cortar as unhas pouco a pouco até fazê-las desaparecer quase totalmente, para obter o som doce que caracteriza a sua escola.
Fez cerca de 120 transcrições para guitarra solo, e 21 para duos de guitarra. Tem 78 composições.
A música de concerto tem muitos nomes consagrados que se transformaram em verdadeiros mitos, quer pelas suas vidas de carácter especial, polémico, romântico, quer pela sua contribuição para a Música. Na guitarra também há muitos nomes famosos – mas nenhum foi tão ligado à expressão romantizada do ser músico como foi Francisco Tárrega Eixea.
-----------------------
Recuerdos de la Alhambra es la pieza que cada guitarrista dedicado debe tocar para sentir que sus dedos pueden hacer casi cualquier cosa. Esta pieza es realmente un hito en la vida de un guitarrista.
Francisco Tárrega es ¨el primer compositor para guitarra de verdad¨ Era español y conocía profundamente la guitarra. Su destreza en la composición era simplemente perfecta para la guitarra moderna. Contrariamente a Sor y Giuliani, las piezas de Tárrega eran ¨la unión perfecta entre la guitarra moderna y el alma de España¨.
Recuerdos de la Alhambra es una pieza de trémolo. El trémolo es una idea musical que viene de la familia del mandolín. A medida que el ejecutante realiza el trémolo con los dedos a, m, e i, el pulgar toca una nostálgica melodía en contrapunto.
.
.

*