i


...

- - -
- - -- -
- - - - - - -- - - - - EXEMPLAR..- -- - - -- -..B & B - -- - - - - - UM OUTRO BACH? - -- - TRUTAS

Johannes Brahms

Abril/3

aniversário da morte de
Johannes Brahms
(1833-1897)


Variações Paganini, Livro II
Pianista: Elena Ulyanova
.

.
Johannes Brahms, que viveu entre 1833 e 1897, é uma das mais importantes personalidades do romantismo musical europeu do séc. XIX.
Nasceu em Hamburgo e desde criança revelou excepcionais dotes para a música. Desde muito jovem acompanhou o pai, que era contrabaixista em bares, e aos 10 anos deu o seu primeiro recital público, interpretando Mozart e Beethoven.
Não tardou a ser convidado para tocar nas cervejarias de Hamburgo e foi nesse ambiente que um dia decidiu sair de casa, aliciado por um violinista húngaro a fazer uma tournée pela Alemanha. A companhia não era a melhor, mas a digressão valeu a Brahms conhecer e fazer-se amigo de Joseph Joachim, Liszt e, Schumann. Em casa deste, passou a ser recebido e a tocar – o casal Robert e Clara Schumann considerava-o um génio.
Da relação com o casal Schumann, consta que nasceu um amor com Clara, porventura mantido secreto, mesmo depois da morte de Robert Schumann [VER FILME, em "Filmes Históricos"].
.
UMA MELODIA INSPIRADA E... INSPIRADORA
--- ---
.Em 1860, comete um grande erro: assina, junto com Joachim e outros dois músicos, um manifesto contra a chamada escola neo-alemã, de Liszt e Wagner, e o que chamava "música do futuro". Embora Brahms nunca fosse afeito a polémicas, acabou classificado de reacionário, rótulo de que só se livrou muitos anos mais tarde, graças ao famoso ensaio de Schoenberg “Brahms, o Progressista”. Por isso ou não, deixou a Alemanha e fixou-se em Viena. E foi na Áustria que construiu algumas das suas principais obras e o prestígio que a qualidade destas merecia. Van Bullow referiu-se a ele afirmando que estava encontrado o 3º B da genialidade alemã (depois de Bach e Beethoven) e chegou a apreciar uma das suas sinfonias como “a décima”, assim o comparando ao grande Beethoven.
Mestre por excelência da música de câmara, Brahms construiu igualmente grandiosas sinfonias e outras obras orquestrais, concertos para instrumento solista e orquestra e, é claro, extraordinárias peças para piano, instrumento a que dedicou importante parte da sua vida.

1 - Sergei Rachmaninov

Abril/01

aniversário do nascimento de
Sergei Rachmaninov
(1873-1943)

.
.A obra para piano mais difícil do mundo: o Concerto “Rach 3”
(Concerto nº 3, em ré menor, Op. 30, para piano e orquestra)
.
.
Sergei Vasilievich Rachmaninov nasceu no dia 1 de Abril de 1873, em Semyonovo, perto de Novgorod, no noroeste da Rússia.
Os pais eram ambos pianistas amadores, e Rachmaninov teve as primeiras lições de piano com a mãe, mas ninguém lhe notou nenhum talento extraordinário. Por causa de problemas financeiros, a família mudou-se para São Petersburgo, onde Rachmaninov estudou no Conservatório da cidade antes de ir para Moscovo estudar piano, harmonia e contraponto.
Além de compositor, Rachmaninov é considerado um dos pianistas mais influentes do Século XX. Os seus trejeitos técnicos e rítmicos são lendários, e as suas mãos largas eram capazes de cobrir um intervalo de uma 13ª no teclado.
A reputação de Rachmaninov como compositor tem gerado alguma controvérsia. A edição de 1954 do Dicionário de Música e Músicos da Grove desprezou a sua música como "monótona em textura... consistindo principalmente de melodias artificiais e feias" e previu o seu sucesso como "não duradouro". A isto, Schonberg no seu livro “Vidas dos Grandes Compositores”, respondeu, "é uma das colocações mais vergonhosamente snobes e mesmo estúpidas a ser encontrada num trabalho que se propõe ser uma referência objectiva". De facto, não apenas os trabalhos de Rachmaninov se tornaram parte do repertório padrão, mas a sua popularidade, tanto entre músicos como entre ouvintes, tem vindo, no mínimo, a crescer desde a segunda metade do séc. XX.
Em 1904, depois de várias apresentações como maestro, Rachmaninov desempenhou o cargo de maestro do Teatro Bolshoi. Em 1906, foi para a Itália, onde se manteve até Julho. Passou os três invernos seguintes em Dresden, na Alemanha, trabalhando intensivamente como compositor. Em 1909, Rachmaninov fez as primeiras apresentações nos Estados Unidos como pianista, um evento para o qual compôs o Concerto para Piano No. 3. Estas apresentações bem-sucedidas fizeram dele uma figura popular na América.
Após a Revolução Russa de 1917, Rachmaninov, juntamente com a mulher e duas filhas, deixou S. Petersburgo e foi para Estocolmo. Nunca mais regressariam a casa. Rachmaninov estabeleceu-se na Dinamarca e passou um ano a dar concertos pela Escandinávia. Saiu de Oslo para Nova Iorque, no dia 1 de Novembro de 1918, o que marcou o início do período americano da vida do compositor. Após a partida de Rachmaninov, a sua música foi banida na União Soviética por muitos anos.
Rachmaninov e a sua mulher tornaram-se cidadãos americanos no dia 1 de Fevereiro de 1943. Deu o seu último recital a 17 de Fevereiro desse ano, no Alumni Gymnasium, da Universidade de Tennessee, em Knoxville, profeticamente interpretando a Sonata nº 2 em si bemol menor, de Chopin, que inclui a famosa marcha fúnebre. Uma estátua comemorativa do último concerto de Rachmaninov existe no Parque da World's Fair, em Knoxville.
Rachmaninov morreu no dia 28 de Março de 1943, em Beverly Hills, na Califórnia, apenas alguns dias antes de seu 70º aniversário. Nas horas finais da sua vida, insistia que estava a ouvir música a tocar algures por perto. Depois de ser repetidamente assegurado de que não era o caso, Rachmaninov declarou: "Então a música está na minha cabeça".
.O Concerto # 3 constituíu o tema do filme “Shine” e da vida do pianista biografado por essa película, David Helfgott.

1 - Scott Joplin

Abril/1
aniversário da morte de
Scott Joplin
(1868-1917)


.
.
Erudito ou popular, popular e erudito – o “rei” do ragtime.
.
.O ragtime é um estilo musical de ritmo sincopado, baseado em esquemas de frases que se repetem. Teve bastante expressão entre os anos 1900 e 1920, principalmente. As músicas fizeram grande sucesso entre os Saloons, Bailes e bandas sonoras de filmes do chamado cinema-mudo.
“The Entertainer” é a peça mais conhecida, tocada e retocada de todos os ragtimes. O seu compositor é de entre todos, o maior, o “rei” incontestado do ragtime: Scott Joplin.
.
[The Entertainer]
.
Mas “The Entertainer” não é o único hit de Scott Joplin. Propondo-se criar nos E.U.A. uma música de raiz popular para a qual desejava um estatuto semelhante ao da música que provinha da Europa (inclusivamente com a possibilidade de incluir óperas e sinfonias), Joplin combinou as tradições da música folk afro-americana com o romantismo europeu do séc. XIX. O resultado, que agradou aos amantes da folk music, do jazz, do swing e da música erudita, foi o chamado ragtime clássico.
.
[Maple Leaf Rag]
.
.
Scott Joplin nasceu em Linden, no Texas, em 1868 e viveu até 1917. Quando tinha 14 anos, a mãe adquiriu um piano – e ele, demonstrando grande habilidade para o instrumento, recebeu aulas gratuitas de uma professora alemã, que lhe incutiu o gosto pela música clássica.
Mas num belo dia de 1893, na Feira Mundial de Chicago, ele ouviu a música mais recente, incluindo a banda orquestral de John Philip Sousa. Talvez tenha sido esse o dia em que “decidiu” que entre música popular e música erudita não havia necessariamente divergência. Depois disso, reforçou os seus estudos de teoria musical, harmonia e composição. Anos depois, vendiam-se em grande escala os seus discos de marchas, valsas e… ragtimes.
Pelo menos no ragtime, foi um virtuoso pianista. Um jornal americano da época chegou mesmo a qualificá-lo como “o melhor pianista do mundo”.
Mas a principal razão por que viria a receber, a título póstumo, o Prémio Pulitzer e tem hoje uma estrela no Passeio da Fama de St. Louis, foi – é claro – a mestria das composições que deixou escritas.

1 - Ferruccio Busoni

.
Abril/1

aniversário do nascimento de
Ferruccio Busoni
(1866-1924)



/span>>object width="250" height="200">Sonatina No 6, Fantasia sobre a Carmen, BV284
Piano: Claudio Arrau
.
.
Ferruccio Busoni, que nasceu nesta data, foi um notável pianista, compositor, maestro, professor e musicólogo.

Dante Michelangelo Benvenuto Ferruccio Busoni nasceu em Empoli, na Toscânia, filho de um casal de músicos profissionais – uma pianista ítalo-germânica e um clarinetista italiano. Menino-prodígio, fez a sua apresentação pública aos 7 anos, tocando piano com os pais. 2 anos depois tocou algumas das suas próprias composições em Viena, onde conheceu Liszt, Brahms e Anton Rubinstein.
O ano de 1890 terá sido o ano de decisivo lançamento de uma carreira notável como compositor. Ganhou o Concurso Anton Rubinstein e no mesmo ano passou a leccionar música e composição em Moscovo. Durante os quatro anos seguintes fez digressões pelos Estados Unidos, como pianista virtuoso. Depois, viveu, tocou e ensinou em Berlim, em Bolonha e na Suiça (país este que escolheu como residência quando, durante a Guerra Mundial, se recusou a actuar em países que estivessem envolvidos na guerra.
Notável como pianista e como compositor, Busoni foi também ilustre professor e teórico da Música. A sua técnica pianística e filosofia musical influenciaram fortemente grandes pianistas como Claudio Arrau e compositores como Kurt Weil e Edgar Varèse – e a sua obra musical e literária teve um importante papel na promoção da música contemporânea.

*