i


...

- - -
- - -- -
- - - - - - -- - - - - EXEMPLAR..- -- - - -- -..B & B - -- - - - - - UM OUTRO BACH? - -- - TRUTAS

5 - Mozart

Dezembro/5

aniversário da morte de
Wolfgang Amadeus Mozart
(1756-1791)
.
MÚSICA (3min07)
.

.
* Lacrimosa
. Requiem em Ré menor, K.626
. (Herbert von Karajan)

A data de hoje impõe-nos que regressemos no tempo.
A 5.Dez.1791 na cidade de Viena a noite caiu mais sombria. Morreu um jovem, que nascera em Salzburgo e em apenas 35 anos de vida deslumbrara as cortes europeias, criara alguns amigos e muitos rivais, passara de uma vida de luxo à extrema pobreza e morria só. Tudo pela mesma razão com que nesse dia, afinal, não morria – apenas passava para o patamar dos imortais. Essa razão era a Música. O génio chamava-se Wolfgang Amadeus Mozart.

Uns meses antes, em Março desse ano de 1791, bateu-lhe à porta um desconhecido, que recusou identificar-se. Encomenda-lhe que componha um requiem. Promete pagar bem e dá um generoso adiantamento. Uma condição só: teria de ser em segredo. Umas semanas mais tarde, Mozart é chamado a Praga, para compor A Clemência de Tito, destinada à coroação de Leopoldo II. À janela da carruagem assoma um desconhecido e pergunta-lhe pelo requiem encomendado.
O compositor, obcecado por ideias do sobrenatural desde a morte do pai, acreditou que era o Destino que lhe apressava o seu próprio requiem.

A Missa Requiem em Ré menor ficou, na ordem das partituras de Mozart a ser o K.626.
250 anos depois, a poucas obras musicais é reconhecida a força, a qualidade, o génio, do imortal Requiem de Mozart.

*